quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Vitória no fim do dia mantém dupla viva na disputa

Depois de um jogo ruim contra Ágatha/Shaylyn, Renata e Talita se recuperaram no Aberto do Brasil do Circuito Mundial de Vôlei de Praia e vencerem as suecas Lundqvist/Ljungquist. Com o resultado as vice-líderes do ranking mundial seguem na disputa pelo título do torneio.

“Não jogamos bem o primeiro jogo. A falta de ritmo, devido essa nossa parada após a Olimpíada, fez diferença. Jogar contra times brasileiros sempre é pior nesse caso, porque são duplas muito boas”, analisou a sul-mato-grossense Talita Antunes sobre a derrota para as compatriotas Ágatha e Shaylyn por dois sets a zero, com parciais de 21-16/22-20.

O resultado levou Talita e sua parceira, a carioca Renata Trevisan, à repescagem. No primeiro desafio eliminatório as brasileiras reencontraram o seu melhor voleibol e venceram a dupla da Suécia com parciais de 21-17 e 22-20. Agora elas enfrentam Maria Elisa/Val em mais um jogo de vida ou morte amanhã. A dupla vencedora desse duelo verde-e-amarelo terá outro desafio caseiro pela frente: jogar contra Larissa/Vivian.

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Duas vitórias no primeiro dia no Guarujá

A dupla Renata/Talita começou bem a disputa da etapa brasileira do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. Com duas vitórias, e sem perder um set, as vice-líderes do ranking mundial avançaram as oitavas-de-final do torneio.

Na estréia um confronto caseiro. Renata e Talita tiveram pela frente as compatriotas Elize Maia e Taiane, que conseguiram a vaga na competição depois de eliminarem Virna/Ângela no country-quota. Apesar de terem começado atrás do placar (01-03) não demorou muito pras representantes do Brasil na Olimpíada de Pequim dominarem a partida. Após um primeiro set vencido por 21-12, a confirmação da vitória veio com 21-16 no set seguinte.

Na seqüência um jogo mais fácil ainda. Com parciais de 21-13 e 21-16, Renata/Talita venceram as alemãs Lehmann/Sude. “Foram dois jogos tranqüilos, nós jogamos muito bem”, comentou o técnico Abel Martins. Para Talita o entrosamento da dupla foi fundamental para as duas vitórias: “Voltamos da Olimpíada e só treinamos pouco porque semana passada fomos ao Japão para um jogo exibição. Compensamos essa falta de treino com o nosso entrosamento em quadra”.

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Renata e Talita participam de evento no Japão

Depois de retornarem da semana de folga após os Jogos Olímpicos de Pequim, Renata e Talita treinaram na semana passada para a seqüência de competições no segundo mestre. Mas, o primeiro compromisso da dupla após a quarta colocação na Olimpíada será um evento do Banco do Brasil no Japão.

As jogadoras que embarcaram ontem para o arquipélago participaram ao lado de Ricardo/Emanuel (medalhistas de bronze em Pequim) de uma série de eventos promocionais. A programação terá sessões de autógrafos, visitas a escolas e jogos de exibição em uma arena montada no Daitou Beach Sports Park, em Hamamatsu. A idéia do patrocinador do evento é difundir o esporte e a experiência dos atletas com a comunidade brasileira local, bem como com os torcedores japoneses.

Outra preocupação dos organizadores é com a parte social. Por isso, apesar da gratuidade no ingresso, é solicitado aos torcedores que levem 1kg de alimento não perecível a ser doado ao Grupo Esperança de Hamamatsu. Serão ao todo três dias de compromissos (entre os dias 12 e 14), sendo dois dedicados aos jogos.

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Talita visita escola na sua cidade natal

Representar o Brasil em uma edição de Jogos Olímpicos foi apenas o começo de muitas emoções pra jogadora de vôlei de praia Talita Antunes. Desde que voltou ao Brasil, após a quarta colocação em Pequim, e em especial nessa semana que está no seu Estado natal – Mato Grosso do Sul – a jogadora vem colecionando momentos especiais.

Um desses aconteceu nessa terça-feira, quando a jogadora foi visitar o Instituto Educacional Falcão. Na escola onde tudo começou Talita foi recebida com cartazes, cartas e muito carinho pelos alunos e professores. No teatro respondeu a diversas perguntas dos estudantes e mostrou gratidão por tanto reconhecimento e torcida. “Obrigada a vocês que torceram por mim. Agradecer é pouco. Cada pessoa que eu ficava sabendo que estava torcendo por nós dava uma força a mais, era possível sentir essa energia. Mil vezes obrigada”, disse emocionada.


Perguntada sobre os planos pro futuro a sul-mato-grossense mostrou-se empolgada para os próximos desafios: “Quero mais, e para ter mais temos que trabalhar mais. Por isso vamos trabalhar o dobro. Em 2012 quero mais que 2008”. Tamanha dedicação foi exaltada pelos professores: “Como mãe agradeço você por esse incentivo. Toda garotada se espelhando em você para lutar pelos seus objetivos”, ressaltou a professora Carmem.

quarta-feira, 27 de agosto de 2008

Renata faz balanço de Pequim na TV Lance

A carioca Renata Trevisan, quarta colocada ao lado de Talita Antunes nos Jogos de Pequim, participou essa semana do programa Um Pequim de Olimpíada da TV Lance. No programa que destacou a participação do vôlei brasileiros nos Jogos a jogadora fez um balanço da participação da sua dupla.

“Nós jogamos bem, mostramos o nosso melhor vôlei. Infelizmente a medalha não veio, mas estamos felizes com a nossa participação”, analisou a jogadora que ainda creditou a renovação do vôlei de praia brasileiro ao forte Circuito Banco do Brasil Vôlei de Praia: “A evolução das duplas e o surgimento de novas forças se dá ao nosso campeonato forte, que nos faz treinar e jogar em alto nível o ano inteiro”.

Questionada sobre o clima olímpico, a jogadora que participou dos Jogos pela primeira vez comentou sobre a diferença entre o torneio de Pequim e as etapas do circuito mundial. “Não adianta dizer que são as mesmas atletas, os mesmo juízes. É diferente. Tem uma energia diferente”, comentou. Renata lembrou ainda da felicidade em estar participando do evento: “Entrar na vila é especial. Estar perto de grandes atletas e ver que você também fazer parte daquilo é especial. Participar da abertura também é emocionante”.

Ao lado de Renata, a jogadora de vôlei indoor Carol Gattaz – que comentou os Jogos pelo canal SPORTV – destacou a boa participação da dupla Renata/Talita e profetizou “na próxima elas vão chegar a uma medalha com certeza”.

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Volta ao Brasil marca o início do projeto Londres-2012

Mais do que o fim do ciclo olímpico de Pequim, o retorno da dupla Renata/Talita ao Brasil marcou o início de um projeto ainda maior: buscar a medalha nos Jogos Olímpicos de Londres.

Depois de mais de trinta horas de viagem a dupla participou da coletiva de imprensa organizada pela CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) que reuniu os representantes do país nos vôlei de praia em Pequim. Ao lado dos medalhistas de prata e bronze no torneio masculino, Renata ainda se emocionou ao falar da tentativa do bronze: “Ainda me emociono ao falar nisso porque chegamos muito perto, mas tenho a consciência de que fizemos o nosso melhor”. A jogadora ainda falou da importância do quarto lugar e de ter representando bem o país. “Agora que estamos chegando aqui é que temos a exata noção de tudo que fizemos. Nunca tinha visto meu pai chorar antes, e quando eu fui abraçá-lo ele não se conteve”, completou a jogadora.

Questionadas sobre o futuro as duas atletas falaram do projeto para a próxima Olimpíada. “Teremos uma semana de folga e depois voltamos aos treinos. Agora em setembro já tem a etapa brasileira do Circuito Mundial”, disse a carioca Renata Trevisan. Talita lembrou ainda que o projeto da dupla é seguir junta até as Olimpíadas de Londres, no mínimo. “A Renata ainda vai ter que me agüentar por mais quatro anos”, brincou a sul-mato-grossense. Questionada sobre a superioridade das americanas Walsh/May – que derrotaram as brasileiras na semifinal - ela não se esquivou da pergunta: “Elas são bi-campeãs olímpicas e demonstraram mais uma vez o porquê disso. Estão a mais de cem jogos sem serem derrotadas. É a dupla a ser batida”.

Mas as ambições das brasileiras são grandes. Durante uma pergunta sobre a intenção do presidente da CBV de formar uma dupla capaz de bater as americanas Talita não teve duvidas e respondeu: “Se querem uma dupla para bater elas pode avisar que esta dupla já está formada, e é Renata/Talita”.

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Quarto lugar encerra ciclo olímpico em Pequim

A sensação é que podia ter sido um pouco melhor, mas mesmo assim Renata/Talita deixam os Jogos Olímpicos de Pequim com um honroso quarto lugar. A dupla que se juntou tendo como objetivo os Jogos de 2012 sai da sua primeira experiência olímpica com uma semifinal no currículo.

“Não éramos favoritas e chegamos até aqui. Fica a frustração por termos chegado tão perto”, comentou Renata Trevisan após o jogo contra as chinesas Xue/Zhang Xi. Na partida que valia o bronze as brasileiras mostraram porque estão entre as quatro melhores duplas dos Jogos de Pequim.

Em um primeiro set bastante equilibrado Renata/Talita chegaram a estar perdendo por 15-12, mas souberam correr atrás do placar e viraram a partida. Mas, em um erro de ataque acabaram derrotadas por 21-19. Na parcial seguinte o nervosismo parece ter atrapalhado, mesmo assim quando perdia de 14-09 a dupla do Brasil foi buscar o placar e chegou a estar apenas um ponto atrás (16-17). Mas o dia era das chinesas que fecharam o jogo com 21-17.

Agora Renata e Talita pensam no futuro. Depois dessa primeira experiência em Jogos Olímpicos a dupla se sente mais madura para seguir nas competições internacionais e tentar a tão sonhada medalha em Londres-2012. “O time não pode pensar na derrota. Temos que pensar em como vamos trabalhar nos próximos quatro anos, como vamos nos preparar”, afirmou Talita Antunes.

quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Brasileiras prontas para lutar pela medalha

A decepção da primeira derrota no torneio olímpico já ficou para trás. Renata e Talita treinaram hoje cedo na arena de Chayoang Park focadas na disputa pelo bronze em Pequim.

“Não dá tempo para a gente remoer a tristeza. O que passou, passou. Isso não pode apagar o que a gente fez até agora. Foi nossa primeira derrota, mas o sorriso já está de volta”, disse Talita Antunes sobre a campanha da dupla até o momento. Depois de cinco vitórias consecutivas as brasileiras foram derrotadas na semifinal pelas atuais campeãs olímpicas Walsh/May.

Amanhã as nove da manhã, dez da noite no Brasil, Renata/Talita entram em quadra contra as adversárias e a torcida local, que promete impulsionar Xue/Zhang Xi na tentativa de ter duas duplas chinesas no pódio. Já para as brasileiras a medalha manteria ainda uma hegemonia brasileira, que desde que o esporte tornou-se olímpico nunca esteve fora do pódio no feminino. Questionadas se isso aumenta a pressão as duas fazem coro: “Essa pressão existe desde o primeiro jogo. Chegar em uma Olimpíada representando o Brasil é uma grande responsabilidade. Não é agora que essa pressão vai aumentar”.

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Renata e Talita perdem mas ainda disputam o bronze

Depois de passarem por cinco jogos de forma invicta Renata/Talita conheceram hoje a sua primeira derrota no torneio olímpico de vôlei de praia. Jogando pela fase semifinal da competição as brasileiras foram derrotadas pelas atuais campeãs olímpicas: as americanas Walsh/May.

Bem diferente do que apresentaram no jogo anterior, quando eliminaram as australianas Barnett/Cook, as jogadoras do Brasil entraram em quadra errando muito e logo a vantagem era enorme para o time norte-americano (15-06). Sem conseguir apresentar um bom ritmo no jogo Renata e Talita ainda vibraram com um ponto disputado em um rali enorme e dois bloqueios de Talita, mas em um contra-ataque da melhor jogadora de vôlei de praia do mundo – Misty May – a vitória ficou com as adversárias (21-12).

No set seguinte porém a dupla brasileira deu a impressão de ter finalmente entrado no jogo. Mantiveram o jogo equilibrado até o placar de 12-13. Foi quando em uma seqüência de sete pontos as vencedoras dos Jogos de Atenas voltaram a abrir vantagem (12-20), e num erro de saque de Talita fecharam o jogo – 21-14.

“Elas jogaram muito bem, e a gente não. Para virar a bola contra elas temos que ser perfeitas”, comentou a carioca Renata Trevisan. Mas a derrota não abalou a jogadora que promete muita garra para a disputa pelo bronze: “O bronze vai valer ouro pra gente”.

Para a disputa do terceiro lugar as brasileiras enfrentam as chinesas Xue/Zhang Xi. Além da confiança das próprias jogadoras, até a adversária de hoje acredita na medalha para o Brasil. Em entrevista ao New York Times, May comentou “Disse a elas que vamos nos reencontrar no pódio”.

domingo, 17 de agosto de 2008

Renata e Talita passam pelas australianas e estão a uma vitória da medalha

Depois do susto nas oitavas, Renata e Talita mostraram que estão prontas para seguir na disputa por uma medalha olímpica. Totalmente diferente da forma como se apresentaram no jogo contra as norueguesas, as brasileiras entraram em quadra hoje dispostas a mostrar porque estão entre as quatro melhores dos Jogos de Pequim.

Focadas no jogo não demorou muito para que Renata/Talita mostrassem que dessa vez a partida seria diferente. Logo no primeiro ponto do jogo um rali emocionante colou as brasileiras em vantagem, que foi aumentando no decorrer do set – a maior diferença foi de sete pontos (13-07) – e permaneceu até o placar de 20-16. Foi quando as australianas forçaram o saque e conseguiram virar a partida (21-20). Mas, com a mesma tranqüilidade que apresentaram desde o apito inicial as semifinalistas fecharam em 24 a 22.

No segundo set a vitória foi bem mais tranqüila. Encaixando boas defesas de Renata com o forte bloqueio de Talita a dupla dominou o placar desde o começo e fechou em 21-14, num ace da carioca Renata Trevisan.

“As duas jogaram muito bem hoje. Renata esteve bem na defesa e na virada de bola, Talita marcou bem o bloqueio”, elogiou o técnico Abel Martins. Mas sem deixar de lembrar que elas podem chegar mais a frente. Para isso as brasileiras terão o desafio de vencer Walsh/May na semifinal da competição – as americanas eliminaram Ana Paula/Larissa nas quartas-de-final.

Renata/Talita terão que passar por algozes de brasileiras

Para continuar avançando no torneio olímpico Renata e Talita terão pela frente o desafio de vencer as duplas responsáveis pelas derrotas da outra parceira brasileira em Pequim.

Ana Paula e Larissa deixaram a competição ao serem derrotadas essa manhã pelas norte-americanas Walsh/May. Justamente as adversárias na semifinal de quem sair vitoriosa do último jogo das quartas-de-final disputado nesse domingo em Chaoyang Park, entre Renata/Talita e as australianas Barnett/Cook.

Natalie Cook, que disputa sua quarta olimpíada, foi a responsável pela primeira derrota das brasileiras em Pequim. Ainda na fase de grupos ela e sua parceira derrotaram Ana e Larissa por 2x0. Por isso, Renata e Talita sabem que precisam entrar concentradas desde o início. “A Cook chegou a todas semifinais olímpicas já disputadas. Ela cresce muito em Olimpíada”, advertiu Talita Antunes.

Outro ponto forte, segundo Renata Trevisan, é o conhecimento do jogo brasileiro: “Jogamos contra elas muitas vezes no mundial. Elas sabem o nosso jogo”. Mesmo assim, as brasileiras têm vantagem no histórico. Em cinco jogos disputados foram três vitórias brasileiras (todas por 2x0) e duas derrotas (ambas por 2x1).

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Virada espetacular coloca Renata/Talita nas quartas

Um jogo para testar os corações dos torcedores brasileiros. Foi assim as oitavas-de-final entre Renata/Talita e as norueguesas Maaseide/Glesnes.

Apesar de terem começado bem o jogo, quando lideraram por 03-01, as brasileiras tiveram um duelo equilibrado com as adversárias até o empate em cinco pontos. Foi quando um erro do juiz desconcentrou as brasileiras, que não se encontraram mais no set e foram facilmente derrotadas por 21-12.

Quando a derrota parecia inevitável, com as norueguesas vencendo o segundo set por 19-17, começou umas das viradas mais espetaculares dessa Olimpíada. Com quatro pontos seguidos, dois deles em bloqueio da sul-mato-grossense Talita, a dupla verde-e-amarela fechou o segundo set (21-19) e forçou a realização do set desempate.

No tie-break novamente as européias abriram vantagem (05-02), mas com um jogo completamente diferente do apresentado até então Renata e Talita dominaram pela primeira vez o jogo e fecharam a partida com 15-13.

A atuação de Talita no momento decisivo do jogo rendeu elogios de sua parceira. “Não jogamos bem, mas Talita foi perfeita na hora de decisão”, comentou a carioca Renata Trevisan ao término do jogo. Já Talita adotou um discurso mais cauteloso: “Precisamos melhorar muito pra seguir na competição”.

O resultado coloca a dupla de estreantes em Jogos Olímpicos nas quartas-de-final da competição. No jogo que vale vaga na semifinal elas enfrentam as australianas Barnett/Cook. O confronto entre as duplas é equilibrado, com as brasileira tendo vantagem de 3-2 no histórico, mas nas duas vezes que se enfrentaram nessa temporada (Berlim e Stavanger) a vitória foi de Renata/Talita.

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Renata e Talita terminam a primeira fase invictas

Foi suado, mas Renata e Talita conseguiram terminar a primeira fase do torneio olímpico com aproveitamento de cem por cento. Com três vitórias em três jogos, e apenas um set perdido – na estréia contra as mexicanas Candelas/Garcia – a dupla brasileira avançou as oitavas-de-final com o primeiro lugar do grupo F.

O jogo de hoje, contras as gregas Karantasiou/Arvaniti, era apenas para cumprir tabela. Classificadas à segunda fase e com o primeiro lugar do grupo garantido, Renata/Talita relaxaram em quadra e com isso deixaram as gregas, que apesar de eliminadas precocemente tiveram boa atuação, dominar as parciais nos dois sets. Apesar disso, as brasileiras souberam impor seu ritmo de jogo nos momentos decisivos da partida e conseguiram a segunda vitória seguida em dois sets.

No primeiro as gregas dominaram o placar até estarem em vantagem por 17-15, mas uma virada de bola no ataque, seguida de um contra-ataque de Renata e um bloqueio de Talita colocaram as brasileiras na frente (18-17). Mesmo assim, com um erro da sul-mato-grossense, as adversárias voltaram a liderar o placar. Mas, foi justamente a atleta de Aquidauana que com um ace encerrou o primeiro set (22-20).

Já na parcial seguinte as brasileiras abriram no começo mas com alguns erros na recepção permitiram a vantagem para a Grécia (13-09). Mantendo a calma as brasileiras buscaram ponto a ponto e em dois bloqueios de Talita fecharam o jogo com 21-19.

“Não jogamos bem hoje. Mas foi importante a vitória para mostrar que saímos de situações desfavoráveis no jogo”, analisou Talita Antunes. Ela e sua parceira agora enfrentam as norueguesas Maaseide/Glesnes – as nove da manhã dessa sexta-feira, na estréia da fase eliminatória da competição. Essa será a quinta vez que as duplas se enfrentam e as brasileiras lideram o histórico do confronto com três vitórias e uma derrota.

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Vitória garantiu primeiro lugar do grupo F

Renata e Talita conquistaram essa noite na arena montada no Chaoyang Park à classificação as oitavas-de-final dos Jogos Olímpicos de Pequim. Mas, a vitória por dois sets a zero sobre as irmãs Schwaiger valeu ainda a garantia do primeiro lugar do grupo F.

A vitória confirmou o favoritismo da dupla brasileira, que havia vencido cinco dos sete confrontos disputados entre as duplas antes da partida dessa noite de terça em Pequim. Mesmo começando o primeiro set com desvantagem no placar – as austríacas abriram 08 a 06 – as jogadoras mantiveram a calma e conseguiram uma seqüência de cinco pontos que as deixou em boa vantagem pra confirmar a vitória por 21-18. Já no segundo set as brasileiras abriram vantagem logo no início, e mesmo com as adversárias encostando no placar por duas vezes mantiveram o ritmo de jogo e fecharam a partida em 21-19.

“Fizemos um bom jogo. Mesmo cometendo alguns erros soubemos manter a calma nos momentos importantes da partida”, analisou o técnico da dupla – Abel Martins. Agora, elas voltam à quadra na quinta-feira (uma da manhã no horário de Brasília) apenas para cumprir tabela com as já eliminadas Karantasiou e Arvaniti, da Grécia.

Renata e Talita preparadas para o segundo desafio

Depois da vitória na estréia, contra as mexicanas Candelas/Garcia, a dupla brasileira de vôlei de praia Renata/Talita encara logo mais seu segundo jogo da fase de grupos do torneio olímpico.

O próximo desafio será contra as irmãs austríacas Schwaiger. Apesar de serem consideradas favoritas, as brasileiras preferem ter cautela quanto as projeções. “Já jogamos muitas vezes contra elas (austríacas), mas sempre é um jogo bastante disputado. Além disso estamos em uma Olimpíada e todo mundo se preparou muito para esse momento. Elas ganharam o primeiro jogo contra as gregas, que eram favoritas, isso mostra o equilíbrio entre os times”, analisou a carioca Renata Trevisan. Mas, apesar da cautela, as jogadoras que foram cedo à arena no Chaoyang Park para fazer um treino leve, já que o jogo faz parte apenas da programação noturna, estão confiantes em uma boa atuação.

Só nessa temporada as duplas se enfrentaram quatro vezes. Em todas as partidas a vitória foi verde-e-amarela.

domingo, 10 de agosto de 2008

Estréia com vitória

A conquista da primeira vitória olímpica foi suada, mas Renata e Talita estrearam nos Jogos de Pequim com o placar favorável de dois sets a um. O resultado não garantiu a dupla a primeira colocação do grupo, já que as irmãs austríacas Schwaiger venceram sua partida sem perder um set, mas colocou as duas duplas – que se enfrentam na próxima terça – em igualdade de pontos.

O nervosismo da estréia parece ter tomado conta da dupla brasileira que no primeiro set cometeu erros em momentos importantes e acabou derrotada pelas mexicanas Candelas e Garcia por 21-18. Mas, a partir da segunda parcial Renata/Talita mostraram porque são consideradas uma das duplas fortes do torneio olímpico. Em uma atuação impecável de Talita as brasileiras empataram o jogo quando marcaram 21-16. No set desempate, mantendo o ritmo e contanto ainda com a ajuda de erros não forçados das adversárias, o placar favorável de 15-08 e a confirmação da vitória por dois sets a um.

“Entramos um pouco tensas pela estréia e também elas mudaram a tática para essa partida”, explicou a sul-mato-grossense Talita. Em coro, sua parceira lembrou o quase ineditismo do confronto: “Foi apenas a segunda vez que as enfrentamos”. Apesar de terem estudado minuciosamente as oponentes as brasileiras destacaram como um dos pontos fortes da estréia o fato de terem sido surpreendidas pelo jogo adversário e a capacidade de se adaptar durante a partida.

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Dupla fez reconhecimento da arena olímpica

O clima da olimpíada já é uma realidade para a dupla Renata/Talita. As jogadoras que chegaram ontem à tarde na capital chinesa foram direto para a vila olímpica e tiraram o resto do dia para descansar da longa viagem da Áustria até a cidade sede dos Jogos Olímpicos.

Mas a folga acabou hoje cedo. Logo na primeira manhã em Pequim as jogadoras foram fazer um treino de reconhecimento da quadra principal da arena do vôlei de praia, situada no Chaoyang Park. O treinamento com bola que deve duração de quase duas horas foi o primeiro da dupla que segue nessa semana se preparando para a estréia no próximo domingo (uma da madrugada no horário de Brasília) contras as mexicanas Candelas/Garcia.

Animadas com a disputa de seu primeiro torneio olímpico as jogadoras sabem da responsabilidade de representar o Brasil em um esporte que tradicionalmente tem bons resultados. “Estamos tranqüilas mas sempre há uma pressão pelo Brasil ter sempre bons resultados no vôlei de praia”, comentou a sul-mato-grossense Talita Antunes. A jogadora será a primeira representante feminina do Estado em uma edição olímpica e se diz honrada por isso: “É muito legal saber disso. Espero que sirva de estímulo para que venham muitas outras”.

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Eliminadas na Áustria, Renata e Talita focam em Pequim

A derrota para Keizer/de Fries nas oitavas-de-final do Grand Slam de Klagenfurt do Circuito Mundial de Vôlei de Praia antecipou a segunda parte da programação da dupla Renata/Talita visando à preparação aos Jogos Olímpicos de Pequim.

Com a disputa de apenas um jogo nessa sexta-feira, quando foram derrotadas pelas holandesas por 2x1 (21-19/17-21/12-15), Renata e Talita voltaram as suas atenções nos treinamentos para a disputa olímpica. No fim da tarde de hoje as atletas foram à academia para um treino aeróbico e amanhã voltam aos treinos com bola. “Nossa idéia era retomar essa parte apenas em Pequim, mas como acabamos saindo antes do torneio vamos aproveitar esse tempo ainda em Klagenfurt da melhor maneira possível”, explicou o técnico Abel Martins.

Sobre a eliminação precoce na Áustria o treinador analisou: “Não conseguimos manter o que fizemos nos outros jogos. Nossa virada de bola não esteve boa e a parte tática poderia ter sido melhor”.

quinta-feira, 31 de julho de 2008

Primeiro lugar no grupo valeu vaga nas oitavas

Com o aproveitamento de cem por cento nos três jogos da fase de grupo do Grand Slam da Áustria, Renata e Talita se classificaram hoje para as oitavas-de-final do último torneio antes dos Jogos Olímpicos de Pequim.

A dupla garantiu a vaga antecipada na segunda rodada da fase eliminatória graças à vitória sobre as alemãs Holtwick e Semmler. O jogo vencido, assim como os dois de quarta-feira, por dois sets a zero foi disputado na quadra número dois da arena montada em Klagenfurt. Logo no primeiro set o domínio brasileiro foi amplo, com a vitória por 21-15. Já na parcial seguinte, após abrirem 19-12, Renata e Talita permitiram a reação das européias, mas garantiram a vitória com 21-18.

O primeiro desafio na fase eliminatória será amanhã contra as holandesas Keizer/de Vries, as dez da manhã (cinco no horário de Brasília).

quarta-feira, 30 de julho de 2008

Definidas as adversárias da primeira fase em Pequim

A Federação Internacional de Vôlei e o Comitê Organizador dos Jogos de Pequim divulgaram hoje os confrontos da primeira fase do torneio olímpico de vôlei de praia.

Cabeças-de-chave do grupo F, Renata e Talita estréiam no dia 10 de agosto as 12:00 (01:00 no horário de Brasília) contra as mexicanas Candelas/Garcia. Essa será a segunda vez que as duplas se enfrentam. No torneio da Noruega do Circuito Mundial, a vitória foi das brasileiras (2x0 – 21/13-21/12).

Dois dias depois será a vez de enfrentar as irmãs austríacas Schwaiger - o jogo que está marcado para as 20:00 (09:00 no horário de Brasília). Encerrando a fase de grupos, ao meio-dia (01:00 da manhã) do dia 14 de agosto, Renata/Talita terão pela frente as gregas Karantasiou e Arvaniti.

Apesar de saberem que terão pela frente grandes times nessa fase, as jogadoras estão confiantes em conquistar importantes vitórias nos primeiros jogos. “As mexicanas tiveram excelentes resultados nessa temporada, ganhando de duplas consideradas favoritas ao título olímpico. As irmãs austríacas nós já enfrentamos muitas vezes no Circuito Mundial. As gregas nós conhecemos tão bem quanto elas conhecem nosso jogo (as duplas treinam juntas com freqüência). Mas temos tudo pra fazer uma boa primeira fase, temos que fazer o nosso”, analisou a carioca Renata Trevisan.

A dupla segue disputando a etapa austríaca do Circuito Mundial e no próximo dia 03 embarca para Pequim.

Estréia com 100% de aproveitamento em Klagenfurt

Renata e Talita estrearam muito bem na última etapa do Circuito Mundial antes dos Jogos de Pequim. A dupla brasileira que está em Klagenfurt (Áustria) para se preparar para a disputa olímpica ganhou seus dois jogos do primeiro dia sem perder um set.

No primeiro desafio elas tiveram que vencer também a animada torcida local que compareceu à quadra central para torcer pelas jogadoras locais. Com o apoio vindo da arquibancada, Gschweidl e Hansel deram trabalho no primeiro set quando abriram vantagem de três pontos (09-06). Mas, administrando bem a partida, as brasileiras viraram o placar e venceram por 21-19. Já na segunda parcial o domínio foi totalmente brasileiro. A larga vantagem foi construída em uma seqüência de oito pontos, e a vitória veio com o placar de 21-13.

Já no jogo da programação da tarde a vitória veio mais fácil. Jogando bem desde o início, e aproveitando a maioria dos contra-ataques, Renata e Talita não tiveram dificuldade em vencer as gregas Koutroumanidou/Tsiartsiani também em dois sets (21-16 e 21-13).

“Fizemos uma boa estréia. No primeiro jogo demoramos a entrar no ritmo mas no jogo contra as gregas tivemos um ótimo aproveitamento”, analisou o técnico Abel Martins. Amanhã as brasileiras pegam as alemãs Holtwick/Semmler na última partida do grupo D.

quinta-feira, 24 de julho de 2008

Renata e Talita estão confirmadas como cabeças de chave em Pequim

A Federação Internacional de Vôlei (FIVB) anunciou hoje o ranking olímpico final, que decidiu os quarenta e oito times – vinte e quatro em cada naipe – que disputarão os Jogos Olímpicos de Pequim.

Com a lista completa, Renata e Talita foram confirmadas como seed 6 e encabeçam o grupo F. A dupla que conhecerá suas adversárias na primeira fase no próximo dia 26, quando o sorteio das chaves olímpicas será realizado na cidade de Gstaad (Suiça), terá a sua estréia na rodada noturna. Renata e Talita entrarão em quadra em Pequim no dia 09/08 as 23:00 ou no dia 10/08 as 22:00 (hora local).

Como o sorteio é feito de forma dirigida, as jogadoras já sabem que suas adversárias no grupo sairão de um sorteio entre as duplas com seed 7 a 9, 13 a 18 e 19 a 24. No primeiro grupo, que define a dupla número dois do grupo, as adversárias serão uma dessas três duplas: Karantasiou/Arvaniti (Grécia), Goller/Ludwig (Alemanha) ou Pohl/Rau (Alemanha).

A outra dupla brasileira que disputará os jogos, Juliana e Larissa, ocupa a terceira posição no ranking de entradas olímpico.

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Jogadoras de olho na poluição de Pequim

Apesar de nunca terem jogado na capital chinesa Renata e Talita conhecem bem o nível de poluição do país sede da próxima Olimpíada. Um dos principais problemas da cidade que receberá os Jogos em agosto é o nível de poluição do ar, e por jogarem um esporte a céu aberto a dupla preferiu se prevenir de possíveis problemas durante a disputa olímpica.

No mesmo dia em que foi divulgado que Pequim não conseguiu atingir os níveis desejados em um teste sobre a diminuição da poluição na capital chinesa a dupla Renata/Talita esteve em Saquarema para um teste específico. As jogadoras foram nessa segunda ao Centro de Desenvolvimento do Vôlei Brasileiro onde fizeram um teste para detectar possíveis distúrbios respiratórios. Mas, felizmente as duas não apresentaram nenhuma alteração o que as deixou mais aliviadas sobre a possibilidade de terem incômodos em Pequim.

Mesmo assim o assunto ainda repercute entre as atletas. “Não conhecemos Pequim, mas sempre jogamos na China. Em Xangai sentimos a diferença por conta do ar poluído, e falam que em Pequim o problema ainda é mias grave. Mas, isso nunca nos trouxe problemas maiores”, explicou Talita Antunes.

Segundo o Comitê Olímpico Internacional a maior preocupação é com esportes onde o atleta fica mais tempo exposto aos poluentes na atmosfera. Estudos realizados pelo COI não colocam o vôlei de praia entre os de maiores riscos, mesmo assim a entidade afirma que o comitê organizador dos Jogos está fazendo um bom trabalho para a diminuição dos problemas.

terça-feira, 15 de julho de 2008

Treinos e entrevistas

Desde que chegaram da Rússia, onde confirmaram à vaga nos Jogos Olímpicos de Pequim, Renata e Talita têm se desdobrado para uma rotina quase que diária: se preparar para os Jogos e atender a imprensa.

Em ritmo acelerado de treinamento com bola e aprimoramento da parte física a dupla ainda precisa arrumar espaço na agenda para atender as solicitações da imprensa. Com poucos dias para o início dos Jogos de Pequim a ampla cobertura da imprensa brasileira não poderia ser diferente em um esporte que tem um histórico tão bom quanto o vôlei de praia. Por isso, os treinos na rede em Ipanema quase sempre são acompanhados por alguma equipe de jornalismo.

Entre as entrevistas para TVs, rádios e jornais, Renata e Talita arrumaram ainda tempo para dedicar aos futuros profissionais dessa área. Atendendo um pedido do jornalista Marcelo Barreto a dupla teve na última quinta a companhia de mais de vinte futuros jornalistas esportivos. Os alunos do curso de jornalismo esportivo da Fundação Mudes puderam acompanhar a rotina de treinamento das atletas e entrevista-las para um trabalho da faculdade.

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Jogadoras já estão no Brasil para se preparar para Pequim

Renata e Talita chegaram hoje cedo do giro pelas etapas do Circuito Mundial de Vôlei de Praia. Mesmo sem a medalha da etapa disputada semana passada na capital russa – a dupla ficou com a quarta colocação – elas trouxeram na bagagem um triunfo ainda maior: a classificação para os Jogos Olímpicos de Pequim.

O sorriso no rosto e a disposição nem deixavam transparecer o cansaço pela longa viagem de volta pra casa. Na chegada familiares e amigos esperam ansiosos para comemorar juntos com as jogadoras a inédita classificação a uma Olimpíada. E ela veio quando as jogadoras já estavam no hotel, longe da arena. “A gente ganhou o jogo nas quartas, só que não podia comemorar porque tinha que esperar o jogo delas (Ana Paula/Shelda)”, contou Talita Antunes durante entrevista para o programa Globo Esporte da Rede Globo.

Mas a comemoração foi curta, já que no dia seguinte elas jogaram ainda duas partidas pelo torneio. E mesmo aqui no Brasil elas voltam amanhã mesmo à parte física e na quinta retomam os treinos com bola. A dupla segue se preparando para Pequim até o dia 26, quando embarcam para a etapa da Áustria, onde jogarão como fase final da preparação para a estréia nos Jogos Olímpicos.

sábado, 5 de julho de 2008

Dupla encerra caminho olímpica com quarto lugar

Renata e Talita se despediram hoje do Circuito Mundial com o quarto lugar conquistado na etapa russa. A dupla que agora volta ao Brasil para se preparar para os Jogos Olímpicos só voltará a disputar uma etapa do mundial na Áustria, pouco antes da estréia em Pequim.

Na disputa pelo terceiro lugar as brasileiras acabaram derrotadas pelas chinesas Tian Jia e Wang. Após um primeiro set dominado pelas orientais (21-16), Renata e Talita chegaram a lidera boa parte do segundo, mas no finalzinho – após estarem vencendo por 19-17 – acabaram tomando a virada (23-21).

O resultado definiu as seis primeiras duplas cabeças-de-chave nos Jogos Olímpicos de Pequim. Renata/Talita irão encabeçar o grupo F da competição, e conhecerão suas adversárias através de sorteio que será realizado no dia 26 de julho, em Gstaad (Suíça).

Dupla disputará o bronze contra as chinesas

Ainda não foi dessa vez que Renata/Talita chegaram a uma decisão de Grand Slam (etapa do Circuito Mundial com premiação maior). A dupla brasileira foi derrotada na semifinal e disputará agora o bronze.

No jogo que abriu a rodada do feminino nesse sábado, Renata e Talita foram derrotadas pelas norte-americanas Branagh/Youngs. As adversárias dominaram a partida e conseguiram fechar o jogo em trinta e sete minutos, com parciais de 21-17 e 21-14. Com o resultado as vice-líderes do ranking mundial voltarão a quadra para a disputa do bronze.

Tentando chegar ao pódio na capital russa, as brasileiras irão enfrentar a principal dupla chinesa: Tian Jia/Wang. Essa será a décima vez que as duplas se enfrentam, e Renata/Talita levam pequena vantagem no confronto – são cinco vitória e quatro derrotas. Nessa temporada esse duelo ocorreu apenas uma vez, na primeira etapa do ano – em Adelaide (Austrália) – e a vitória ficou com as brasileiras por dois sets a zero (21-19/21-17).

sexta-feira, 4 de julho de 2008

Renata e Talita vencem duelo brasileiro e confirmam vaga em Pequim

Renata e Talita se classificaram agora há pouco pela primeira vez a uma semifinal de Grand Slam. A dupla bateu as compatriotas Maria Elisa e Val por dois sets a zero e alcançou as finais na capital russa.

O jogo foi bastante disputado. No primeiro set a partida seguiu equilibrada até o empate em oito pontos, quando as adversárias abriram dois pontos. Depois de uma seqüência de três pontos, Renata e Talita retomaram a frente do placar (13-12) e conseguiram ir abrindo vantagem até fechar em 21-18. No set seguinte a vitória veio ainda mais suada. Depois de estarem perdendo por 2-5 e de recuperarem a frente do placar por 7-5, Renata/Talita deixaram as adversárias abrir novamente (13-16), mas souberam ter a calma necessária para buscar o resultado e fechar o jogo (21-19).

“Foi melhor do que esperávamos. Nunca fizemos uma semifinal em Grand Slam, e nos últimos torneios tivemos cruzamentos difíceis. Essa semifinal veio na hora mais importante”, vibrava Talita Antunes com a vitória e com a confirmação da vaga em Pequim. É que com a derrota de Ana Paula/Shelda, que deixam a competição com o quinto lugar, Renata e Talita estão matematicamente classificadas aos Jogos Olímpicos. Para Renata Trevisan o momento de euforia com a confirmação da vaga é indescritível. “É muita emoção. Muita felicidade. Acho que a ficha não caiu direito. Eu, Talita, Abel (técnico) e Filipe (auxiliar técnico) nos abraçamos e choramos. Estamos ligando pra todo mundo pra contar”, comentou eufórica a jogadora.

Mas tanta festa tem hora marcada para acabar, ao menos hoje. É que as quatro da madrugada, dessa sexta pra sábado, a dupla volta a quadra central em Moscou para a disputa da semifinal contra as americanas Branagh/Youngs.

Vitória sobre alemãs coloca dupla nas quartas-de-final

Acreditar sempre. Esse foi o caminho para que Renata e Talita chegassem as quartas-de-final da etapa russa do Circuito Mundial. Apesar do retrospecto favorável as adversárias, que haviam vencido quatro dos cinco confrontos anteriores, dessa vez quem saiu com a vitória da partida mais uma vez foram as brasileiras.

O jogo foi bastante disputado, e a vitória no primeiro set (23-21) parece ter sido a chave para que Renata/Talita conseguissem avançar no torneio. Na seqüência da partida um placar menos apertado (21-18) e a confirmação da vaga nas quartas-de-final.

Agora elas voltam a ter um desafio brasileiro – Renata e Talita venceram as irmãs Maria Clara e Carol na primeira rodada do torneio. O jogo que vale uma vaga na semifinal será contra Maria Elisa e Val. Essa será a segunda vez que as duplas se enfrentam nessa temporada. Na semana passada, em Stavanger, a vitória ficou com as adversárias (2x1) na fase de grupos.

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Desafio para avançar as quartas-de-final

Renata e Talita terão um grande desafio para chegar as quartas-de-final do Grand Slam de Moscou. A dupla conheceu agora há pouco as suas adversárias no primeiro jogo da fase eliminatória da competição. Com a vitória por dois sets a zero (21-18/21-15) sobre as japonesas Teru Saiki/Kusuhara, a dupla alemã Pohl/Rau conquistou a vaga nas oitavas-de-final.

Mesmo sem ter que voltar à quadra hoje, Renata e Talita foram até a arena montada no Victory Park para assistir a partida que definiu as suas adversárias, e apesar do retrospecto favorável as adversárias – são quatro vitórias alemãs e apenas uma brasileira – estão confiantes para a partida. “Elas são um time bom, bastante alto. Mas acreditamos que o saque vai ser fundamental para a vitória, e sacamos bem nos dois primeiros jogos”, comentou Talita Antunes.

A dupla precisa chegar até as semifinais para aumentar sua pontuação no ranking olímpico, e conquistar um lugar no pódio para confirmar a vaga em Pequim sem depender dos resultados das adversárias.

Adversárias nas oitavas saem daqui a pouco

A surpreendente derrota de virada para as suíças Kuhn/Schwer não alterou os classificados do grupo D, mas Renata/Talita precisam agora se recuperar para avançar as quartas-de-final do Grand Slam da Rússia. Depois de vencerem facilmente o primeiro set (21-16), a dupla brasileira relaxou e acabou perdendo o segundo por 22-20. No tie-break mais uma nova derrota apertada (15-13).

Para a disputa das oitavas-de-final a dupla irá conhecer daqui a pouco, onze hora no horário de Brasília, as suas adversárias. O confronto entre as japonesas Teru Saiki/Kusuhara e as alemãs Pohl/Rau define a dupla que estará do outro lado da rede na segunda rodada da fase eliminatória.

A chave que a dupla tentará chegar a sua primeira semifinal de Grand Slam porém é bastante complicada. Além desse primeiro jogo, já estão nessa parte da chave eliminatória as três duplas americanas: Branagh/Young, Boss/Ross e Wacholder/Turner.

quarta-feira, 2 de julho de 2008

Renata e Talita garantem primeiro lugar do grupo

Antes mesmo de disputar o terceiro jogo da fase de grupos do Grand Slam de Moscou Renata/Talita garantiram o primeiro lugar do grupo D, e a conseqüente classificação antecipada as oitavas-de-final da competição.

O resultado veio com as duas vitórias da dupla nos jogos de hoje. Depois de estrearem contra as compatriotas Maria Clara/Carol (21-19/21-14), Renata e Talita voltaram a vencer por dois sets a zero o segundo jogo. Contra as norueguesas Hakedal/Torlen as parciais foram ainda mais fáceis. Dominando a partida as brasileiras não tiveram dificuldades em impor 21-14 e 21-16.

O jogo de amanhã, contra as já eliminadas Kuhn/Schwer (Suíça), só contará para a definição da localização da dupla na chave da segunda fase do torneio. Renata/Talita, que só perderam um jogo para as adversárias em cinco vezes que as duplas se enfrentaram, lutam para conseguir mais uma vitória por dois sets a zero e assim tentar escapar de cruzamentos mais fortes.

A dupla dedicou as vitórias de hoje ao técnico Abel Martins, aniversariante do dia.

Vitória na estréia anima dupla para segundo jogo

Renata e Talita estrearam no Grand Slam de Moscou com uma importante vitória sobre as irmãs Maria Clara e Carol. Pela segunda vez consecutiva as vice-líderes do ranking mundial bateram as compatriotas por dois sets a zero.

Apesar do primeiro set bastante disputado (21-19), foram preciso trinta e oito minutos para que a dupla conquistasse a primeira vitória no grupo D. Com o placar favorável na primeira parcial, Renata e Talita não deram chances as adversárias na seqüência, e fecharam o jogo com 21-14.

A dupla volta à quadra em Moscou, as dez da manhã no horário de Brasília, para seu segundo desafio. O jogo contra as norueguesas Hakedal/Torlen será o quinto no histórico do confronto, e as brasileiras têm o retrospecto favorável com três vitórias e apenas uma derrota. Mesmo assim, Talita não espera uma partida fácil: “Elas estão numa boa fase. Semana passada ficaram em quinto e por pouco não venceram a Ana/Shelda. Temos que entrar concentradas para garantir logo a vaga na segunda fase”.

terça-feira, 1 de julho de 2008

Duelo brasileiro abre o grupo D

Com o pódio como principal objetivo na etapa russa do Circuito Mundial – já que o resultado classifica matematicamente a dupla à Pequim - Renata e Talita estréiam amanhã contra velhas conhecidas. Pela oitava vez, quinta só no mundial, no ano a dupla enfrentará as irmãs Maria Clara e Carol.

O jogo que envolve as duas melhores duplas do grupo D foi colocado como o primeiro pelos organizadores do evento e está marcado para as quatro e meia dessa madrugada (no horário de Brasília). Apesar de levarem desvantagem no histórico do confronto em etapas do Circuito Mundial, Renata e Talita lideram o histórico em 2008 com quatro vitórias e três derrotas. Na última vez em que as duplas se enfrentaram, no Grand Slam de Paris, as vice-líderes do ranking olímpico brasileiro saíram com a vitória (2x0 – 21-17/21-18).

“Jogar contra Maria Clara e Carol é sempre complicado. Elas formam uma boa dupla e por nos enfrentarmos tanto acabamos conhecendo muito bem o jogo uma de cada. Por isso toda atenção nesse tipo de jogo é necessária”, analisou Renata Trevisan.

Ainda amanhã, as dez da manhã, ela e sua parceira voltam a quadra para o segundo jogo da fase de grupos, contra as norueguesa Hakedal/Torlen. O último jogo dessa primeira fase será contra as suíças Kuhn/Schwer.

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Renata e Talita deixam a Noruega com o quinto lugar

Pela segunda semana consecutiva a dupla Renata/Talita deixa um Grand Slam do Circuito Mundial com a quinta colocação. E pela segunda vez a derrota foi diante de uma dupla norte-mericana.

Mas, ao contrário de Paris – quando foram derrotadas por Branagh/Youngs – dessa vez a derrota foi para as campeões olímpicas e favoritas Wlash/May. Em trinta e um minutos de partida as campeãs do mundo não tiveram dificuldade em se classificar à semifinal, vencendo a partida por dois sets a zero (parciais de 21-15 e 21-12). “Começamos bem, mas elas defenderam tudo. Aí ditaram o ritmo do jogo”, analisou a sul-mato-grossense Talita.

O resultado é considerado positivo pela dupla brasileira, apesar de não aumentar a pontuação da dupla no ranking olímpico. “Jogamos bem aqui na Noruega, isso é importante pra nos dar confiança para as próximas etapas”, completou a atleta.

Dupla espanta zebra mexicana e está nas quartas

As adversárias das oitavas-de-final eram novidade para Renata e Talita. Pela primeira vez a dupla brasileira iria enfrentar a dupla “sensação” dessa temporada, por ter conseguido bater times importantes durante as etapas do mundial: as mexicanas Candelas/Garcia.

Mesmo tendo estudado as adversárias através de vídeos e de ter assistido alguns jogos durante as outras etapas, Renata e Talita entraram em quadra bastante focadas, já que a estréia de um novo duelo costuma ser complicada. E foi justamente essa concentração que acabou resultando na vitória esmagadora sobre as adversárias. Sem dar chances as mexicanas, as atuais vice-líderes do ranking mundial, impuseram dois sets a zero – parciais de 21-13 e 2-12 – em apenas vinte e oito minutos de partida.

Com o resultado Renata/Talita avançaram as quartas-de-final do torneio, onde terão a difícil missão de quebrar a invencibilidade das campeãs olímpicas Walsh/May para chegarem a semifinal.

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Adversárias nas oitavas saem amanhã

Ao contrário dos dois primeiros Grand Slams do ano, na Noruega a definição das adversárias das duplas pré-classificadas as oitavas-de-final sairá apenas no terceiro dia de disputa.

Com isso, Renata e Talita terão que esperar até amanhã para conhecer quem estará do outro lado da rede na estréia da fase eliminatória. As adversárias da dupla saem do confronto entre as mexicanas Candelas/Garcia e as russas Uryadova/Shiryaeva. Caso as mexicanas avancem será a primeira vez que Renata/Talita vão enfrentar a dupla que vêm surpreendendo pelos resultados sobre grandes times nessa temporada. Já se a vitória ficar do lado russo será o terceiro confronto entre as duplas, sendo que as brasileiras ganharam os jogos disputados em 2005, e na etapa de Paris, esse ano.

“São duas adversárias bem fortes. As russas nós ganhamos em Paris mas sabemos que é um time forte. Já as mexicanas vêm tendo resultados importantes sobre duplas cabeças-de-chave”, analisou Talita Antunes. Mas, independente do resultado do jogo da primeira rodada a jogadora está confiante em uma boa atuação de sua dupla.

Vitória sobre australianas garantiu primeiro lugar do grupo

A derrota de ontem, para as compatriotas Maria Elisa e Val, parece não ter abalado a confiança de Renata/Talita, que hoje conseguiram passar pelas australianas Barnett/Cook e garantiram a primeira colocação do grupo F.

Novamente as brasileiras não tiveram dificuldades em impor seu ritmo de jogo e precisaram de apenas trinta e cinco minutos para derrotar a campeã olímpica Natalie Cook e sua nova parceira Tamsin Barnett. Com as parciais de 21-17 e 21-18, Renata e Talita garantiram ainda a primeira colocação do grupo, e a conseqüente vaga antecipadas as oitavas-de-final do Grand Slam da Noruega.

Agora as jogadoras esperam o sorteio dos confrontos da primeira rodada da fase eliminatória para conhecer o confronto que decidirá suas adversárias na próxima fase da competição.

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Derrota para compatriotas adia para amanhã a definição da classificação à segunda fase

Em um jogo disputadíssimo Renata e Talita conheceram a sua primeira derrota em uma fase de grupos de Grand Slam nessa temporada. Jogando contra Maria Elisa e Val a dupla chegou a vencer o primeiro set (23-21), mas acabou tomando a virada (21-13 e 13-15) e agora soma uma vitória e uma derrota no primeiro dia em Stavanger.

“O jogo foi muito disputado, mas tivemos a chance de fechar a partida quando estávamos ganhando de 13-11 o tie-break e não conseguimos fechar”, comentou a carioca Renata Trevisan. Agora ela sabe que a vitória sobre as australianas Barnett/Cook se tornou fundamental para a sua dupla.

Somente o resultado positivo no jogo de amanhã mantém a dupla com chances de brigar pelo primeiro lugar do grupo F. Para isso será necessário além da vitória, ou a derrota de Maria Elisa/Val para as italianas Gatelli/Perrotta, ou um melhor saldo de pontos que as adversárias. Caso consigam a liderança do grupo a dupla se classificaria automaticamente as oitavas-de-final. Se ficar em segundo ou em terceiro lugar, seriam obrigadas a disputar a primeira rodada da fase eliminatória.

Duelo brasileiro nas areias de Stavanger

Depois de estrearem com uma vitória em apenas trinta e três minutos sobre as italianas Gattelli/Perrotta, com parciais de 21-17 e 21-13, Renata e Talita terão um desafio caseiro na segunda rodada da fase de grupos do Grand Slam da Noruega.

A partir do meio-dia, horário de Brasília, elas enfrentam Maria Elisa e Val. As duplas nunca se enfrentaram em uma etapa do Circuito Mundial, e esse ano no Circuito Banco do Brasil também não estiveram de lado opostos da quadra. Mesmo assim, a boa fase da dupla que veio do qualifying é destacada por Talita. “Elas estão jogando muito bem. Começaram com bons resultados no circuito nacional e também tem obtido importantes conquistas no mundial”, comentou a sul-mato-grossense.

Os últimos confrontos entre as compatriotas foram em 2007. Foram quatro vitórias de Renata/Talita, mas as duas últimas disputadas em três sets.

terça-feira, 24 de junho de 2008

Renata/Talita conhecem seu grupo em Stavanger

Foram definidos os grupos da primeira fase do Grand Slam da Noruega. Durante a realização do congresso técnico as jogadoras Renata e Talita conheceram as suas três primeiras adversárias.

A estréia será amanhã, as sete da manhã (horário de Brasília), contras as italianas Daniela Gattelli e Lucilla Perrotta. Apesar do último jogo ter sido disputado em três sets, as brasileiras venceram todos os sete confrontos entre as duplas. Depois as vice-líderes do ranking olímpico brasileiro terão um confronto caseiro contra Maria Elisa e Val. Apesar de terem vencido os quatro jogos contra as compatriotas ano passado, esse ano as duplas ainda não se enfrentaram. “Elas estão em uma fase muito boa. Em Berlim fizeram um torneio muito bom e certamente será um jogo duríssimo”, analisou Talita Antunes.

A primeira fase será encerada em um tira-teima contra as australianas Natalie Cook e Tamsin Barnett. As duas duplas venceram dois dos quatro confrontos no histórico do Circuito Mundial. A última vitória, no Grand Slam de Berlim, ficou do lado das brasileiras.

Jogadoras treinam de olho na vaga olímpica

Faltando apenas três etapas que contam pontos para o ranking olímpico vai ficando cada vez mais próxima a definição da segunda dupla brasileira em Pequim. Como com a derrota frente Renata/Talita, em Paris, Maria Clara e Carol acabaram se despedindo da chance de disputar os Jogos restam apenas dois times na disputa: Renata/Talita e Ana Paula/Shelda.

Apesar da proximidade da data limite para se conhecer a dupla que fará companhia a Juliana/Larissa na China, Renata e Talita seguem concentradas a cada disputa do Circuito Mundial. “Sabemos que temos grandes adversárias na luta por essa vaga, mas estamos confiantes que vamos confirmá-la”, comentou Renata Trevisan. Ela e sua parceira Talita já estão na Noruega, onde disputam essa semana o terceiro Grand Slam da temporada. A etapa de Stavanger, que soma uma maior quantidade de pontos, é a primeira que pode matematicamente decidir a disputa, mas as jogadoras preferem não pensar nisso. “Vamos entrar em quadra com o mesmo pensamento de todas as outras etapas. Nem gostamos muito de saber de números. Prefiro que a gente entre e faça uma boa etapa sem se preocupar com isso, depois vamos ver como ficou a disputa”, disse Talita Antunes.

As jogadoras que chegaram ontem a cidade norueguesa fizeram apenas academia nessa segunda já que o frio, a chuva e principalmente o vento forçaram o adiamento do treino com bola que estava marcado para o fim da tarde. Mas, hoje cedo as duas foram as quadras externas do complexo montado para a etapa e fizeram o último treino antes da estréia de amanhã.

sábado, 21 de junho de 2008

Derrota para as americanas impede acréscimo no ranking olímpico

Ainda não foi dessa vez que Renata e Talita conseguiram chegar a sua primeira semifinal de Grand Slam, e com isso aumentar o seu ranking olímpico. A dupla que havia se classificado as quartas-de-final do torneio ontem, ao vencer as irmãs Maria Clara e Carol, acabou sendo derrotada em trinta e sete minutos de jogo.

A partida começou bem equilibrada, com os dois times se alternando a frente do placar, até o empate em quinze pontos. A partir daí o bloqueio de Nicole Branagh fez a diferença e as americanas conseguiram abrir vantagem e fechar em 21-18. A derrota na primeira parcial abalou as brasileiras que acabaram errando muito no set seguinte e deixaram, novamente com dois bloqueios de Branagh, as americanas abrirem vantagem em 08-05. Com a diferença a seu favor as adversárias arriscaram mais no saque e em uma seqüência de sete pontos no final fecharam o jogo com 21-11.

A derrota deixou Renata e Talita com a quinta colocação em Paris. A dupla segue na próxima segunda-feira para Stavanger (Noruega) onde disputa o terceiro Grand Slam seguido.

Renata acompanha jogo do Brasil na Liga Mundial

Depois de ter confirmado nas areias do Champs de Mars a vaga nas quartas-de-final do Grand Slam de Paris a carioca Renata Trevisan aproveitou o fim do dia para acompanhar a seleção brasileira de vôlei indoor que veio até Paris para jogar o segundo fim-de-semana da Liga Mundial.

Ao chegar ao Palais Ominni du Sports a jogadora lembrou que a última vez em que acompanhou um jogo de seleção brasileira na quadra foi em 92, quando atuou como boleira em uma partida da seleção no Rio de Janeiro. “A muito tempo não tenho a oportunidade de ver um jogo de seleção no ginásio. Por isso, quando soube que eles jogariam aqui em Paris fiquei muito curiosa pra acompanhar ao menos um jogo”, comentou.

Apesar de ter ficado na torcida brasileira Renata não pode acompanhar o jogo até o fim. Com o compromisso hoje cedo dentro da sua quadra ela deixou o ginásio antes do fim do terceiro set. A seleção brasileira ainda venceu o set seguinte, mas acabou derrotada no tie-break.

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Renata e Talita batem irmãs e estão a um jogo da semifinal

Foram precisos quarenta minutos para conseguir tirar a impressão deixada na Polônia, quando foram derrotadas duas vezes pelas irmãs Maria Clara e Carol. Mas, Renata e Talita souberam administrar a tensão normal de um jogo entre brasileiras e levaram a melhor no confronto válido pelas oitavas-de-final do Grand Slam de Paris.

Dominando a partida desde o inicio a dupla soube se impor e em nenhum momento esteve atrás do placar. Essa tranqüilidade foi fundamental para a vitória de Renata/Talita, que impuseram um 21-17 e 21-18 sobre as compatriotas e se classificaram para as quartas-de-final.

“Conseguimos impor um bom ritmo no jogo, mesmo assim no final do segundo set deixamos elas encostar. Isso tornou o jogo tenso. Mas conseguimos segurar a ansiedade e vencer a partida”, comentou a carioca Renata Trevisan após a emocionante disputa na quadra três do complexo armado no Champs de Mars.

O próximo desafio é de suma importância para a dupla, que precisa de uma vaga na semifinal para aumentar a sua pontuação no ranking olímpico. O jogo será contra as americanas Branagh/Youngs, as seis da manhã no horário de Brasília. Esse será o quinto jogo entre as duplas, e apesar das americanas liderarem o histórico (3-1), nessa temporada as duas duplas venceram uma partida cada.

quinta-feira, 19 de junho de 2008

Vitória sobre francesas encerra primeira fase

Apesar de ter sido disputado na quadra central do complexo armado no Champs de Mars o terceiro jogo de Renata/Talita no Grand Slam de Paris não valia para mais nada. Com os resultados do primeiro dia a dupla brasileira já entrou em quadra classificada as oitavas-de-final, enquanto suas adversárias – Faure/Sarpaux da França – também já estavam eliminadas.

Mesmo assim as vice-líderes do ranking olímpico brasileiro entraram em quadra concentradas e venceram as donas da casa com duplo 21-16 em trinta e nove minutos. Sem dar chances pras adversárias desde o início do jogo Renata e Talita aproveitaram bem os contra-ataques e de forma impecável encerraram a sua participação na primeira fase do torneio: três vitórias e nenhum set perdido.

Agora elas voltam amanhã à quadra central para a primeira partida da fase eliminatória. Suas adversárias saíram do confronto entre Maria Clara/Carol e as cubanas Crespo/Ribalta. Com a vitória por dois sets a zero (21-16/21-19) as irmãs cariocas se recuperaram da derrota sofrida hoje cedo para Ana Paula e Shelda (2x0 – 21-18/21-11) e agora enfrentam Renata e Talita.

O jogo será uma espécie de tira-teima na temporada. As duas duplas já se enfrentaram seis vezes esse ano, com três vitórias pra cada lado, mas Maria Clara e Carol venceram os dois últimos confrontos no Circuito Mundial – em Stare Jablonki (Polônia).

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Renata/Talita atropelam russas e garantem 100% no primeiro dia

Com uma atuação impecável Renata e Talita bateram agora a pouco as russas Uryadova/Shiryaeva e garantiram a classificação a segunda fase do Grand Slam de Paris. O jogo que encerrou a programação da quadra dois do complexo montado na capital francesa teve apenas trinta e dois minutos de jogo.

No início da partida as russas demonstravam que deveriam complicar a vida da dupla brasileira, quando abriram logo de cara 2-0, mas após o empate em cinco pontos – com um ace de Renata – as vice-líderes do ranking olímpico brasileiro foram dominando o jogo e aos poucos abrindo a diferença até fecharam em 21-15. Já no set seguinte foi a vez das brasileiras começarem abrindo dois pontos, diferença que foi ficando cada vez mais elástica até a confirmação da vitória em 21-13.

“Jogamos muito bem. Fizemos a partida ficar fácil pra gente quando fomos em todas as bolas. Acreditamos em cada ponto e com isso fomos construindo o placar”, analisou o técnico Abel Martins.

O resultado garantiu a classificação à segunda fase, mas as brasileiras precisam vencer amanhã as já eliminadas francesas Faure/Sarpaux para se assegurar como primeira colocadas no grupo H e se classificar assim automaticamente as oitavas-de-final do torneio.

Norueguesas vendem caro segundo set, mas brasileiras estréiam com vitória

Renata e Talita passaram pelo primeiro jogo do Grand Slam de Paris. Com uma vitória por dois sets a zero a dupla avança a segunda rodada para enfrentar as russas Uryadova/Shiryaeva, que também venceram na estréia contra as francesas.

O jogo teve o primeiro set completamente dominado pelas brasileiras, que após abrirem 11-07 viram as adversárias encostarem no placar (11-10) mas souberam manter a calma e abrir vantagem novamente até vencer por 21-16. Já na continuação o poder de superação foi importante. Após estarem perdendo por 06-10 Renata e Talita foram aos poucos tirando a diferença até o empate em dezessete pontos. Porém Maaseide/Glesenes voltaram a abri e tiveram dois set points a favor (20-18) não aproveitados. Com calma as brasileiras reverteram a situação ruim no placar, e em um ponto de saque de Renata venceram por 23-21.

Agora elas voltam à quadra as 12:30 (horário de Brasília) para enfrentar pela segunda vez as russas. No único confronto entre as duplas, ocorrido em 2005, a vitória foi de Renata/Talita por dois sets a zero (21-16/22-20).

- Dupla se solidariza com Juliana

Antes do jogo um grande susto. Quando chegavam ao complexo armado no Champs de Mars pela manhã Renata e Talita viram todo o procedimento de retirada de Juliana da quadra onde jogava sua primeira partida na etapa.

Juliana se machucou em um lance de jogo e teve que desistir de disputar a etapa parisiense. A jogadora teve uma entorse de joelho durante uma disputa de bola e teve que ser levada para o hospital aonde passará por exames para a constatação da lesão.

“Estamos na expectativa que não seja nada de grave. Ficamos na torcida pra que tenha sido apenas um susto grande sem maiores conseqüências”, comentou Talita. As jogadoras esperam até o fim do dia que novas notícias de Juliana cheguem para o alívio de todos.

terça-feira, 17 de junho de 2008

Dupla encabeça grupo H em Paris

Mesmo com o nono lugar de Berlim a dupla Renata/Talita continua entre as cabeças-de-chave do segundo Grand Slam da temporada. As jogadoras que encabeçam o grupo H conheceram hoje as suas adversárias na primeira fase (disputada em grupos de quatro times).

A estréia está marcada para as 07:30 (horário de Brasília) na quadra dois do complexo armado com a Torre Eiffel de fundo. O jogo contra as norueguesas Maaseide/Glesnes será o quarto entre as duplas, sendo que as brasileiras venceram dois confrontos – incluindo o único nessa temporada na Polônia – e perderam um. Ainda amanhã elas voltam a quadra para enfrentar as russas Uryadova/Shiryaeva, dupla que não enfrentam desde 2005 quando venceram no Aberto da África do Sul.

O último compromisso da primeira fase será um desafio a mais para as brasileiras, que terão que enfrentar a torcida local. Mas o retrospecto é favorável a Renata/Talita, que venceram todos os quatro jogos contra as francesas Faure/Sarpaux.

Renata e Talita treinam na “cidade luz”

Paris é a cidade que mais recebe turistas no mundo, mas para Renata e Talita que estão na cidade desde domingo a semana será de muito trabalho. Tentando afastar o mal resultado do ano anterior na cidade, quando não passaram da fase de grupos, a dupla já está em ritmo forte de preparação para a disputa do segundo Grand Slam do ano.

No próprio domingo, dia da chegada a Paris, as duas jogadoras foram até a arena montada no Champs de Mars para treinar com bola. Os treinos técnicos seguem até essa terça-feira, véspera da estréia no torneio, junto com a preparação física. A dupla que hoje cedo teve um compromisso burocrático – ir até a embaixada russa para providenciar o visto de entrada no país para a disputa do quatro Grand Slam do ano – logo mais a noite conhecerá suas adversárias no grupo da primeira fase.

“A primeira fase é importante para tentar sair em primeiro do grupo para não ter que jogar a primeira rodada da fase eliminatória. Mas com o equilíbrio do Circuito Mundial, qualquer jogo, até mesmo os da primeira fase, são complicados”, comentou Renata Trevisan. A jogadora espera ter o mesmo desempenho de Berlim, quando seu time ficou em primeiro no seu grupo com três vitórias por dois sets a zero, mas deseja ter mais sorte no sorteio dos cruzamentos da segunda fase. “Tivemos azar de ter um jogo contra Juliana e Larissa logo de cara. Espero ter mais sorte no sorteio dessa vez, mas antes disso tudo temos que pensar na primeira fase ainda”, completou.

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Dupla perde primeiro jogo e é eliminada

Foram três vitórias e apenas uma derrota, mas o regulamento do Grand Slam é implacável e Renata/Talita deixam a etapa de Berlim com a nona colocação. O resultado eliminou ainda mais uma chance da dupla de aumentar a sua pontuação no ranking que define os classificados para Pequim.

A derrota ocorreu debaixo de chuva e muito frio na quadra 3 do complexo montado na capital alemã. Jogando contra as suas maiores rivais, Renata e Talita começaram bem o primeiro set mas cederam a virada e acabaram derrotadas por 21 a 18. Na seqüência, forçando bem o saque e com um aproveitamento melhor de contra-ataque conseguiram vencer com facilidade (21-12) e forçar o tie-break. No set desempate, porém começaram mal (0-3) e mesmo se recuperando no meio do set acabaram errando uma seqüência de ataques propiciando a vitória de Juliana e Larissa por 15-09.

“Não jogamos mal, mas no tie-break começamos perdendo de três a zero e isso não nos deu margem de erro para a continuação do jogo”, analisou Abel Martins, técnico da dupla.

Agora elas voltam as suas atenções para a disputa em Paris, semana que vêm, quando tentarão voltar a figurar entre as melhores da etapa para aumentar seu ranqueamento.

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Clássico será o próximo desafio

Foi definido agora a pouco, na quadra número dois, a dupla adversária de Renata/Talita nas oitavas-de-final do Grand Slam de Berlim. Pela vigésima nona vez a dupla enfrentará as compatriotas Juliana/Larissa em uma partida válida pelo Circuito Mundial Feminino.

O maior clássico do vôlei de praia brasileiro na atualidade definirá quais brasileiras passarão as quartas-de-final da competição está marcado para as seis horas da manhã (horário de Brasília). Renata e Talita chegaram a essa fase com o primeiro lugar do grupo E, enquanto Juliana e Larissa, segundo lugar no seu grupo, precisaram disputar ainda a primeira rodada da fase eliminatória. Em uma re-edição da final dos Jogos Pan-Americanos de 2007, no Rio de Janeiro, elas bateram por dois sets a um as cubanas Fernandez/Peraza (21-15/15-21/15-08).

“Esse cruzamento sempre é complicado. Juliana e Larissa têm uma regularidade muito boa nas competições e são adversárias que devem ser respeitadas. Mas, precisamos nos preocupar primeiro em fazer o nosso jogo (virada de bola) e aí sim nos preocuparmos depois com o que elas estão fazendo”, comentou Renata Trevisan.

As duplas já se enfrentaram seis vezes na temporada 2008 do circuito mundial. As duas primeiras vitórias (ambas em Adelaide) foram de Juliana/Larissa, enquanto Renata e Talita devolveram na etapa da China os dois jogos perdidos. Na seqüência as campeãs pan-americanas voltaram a vencer duas partidas (Osaka e Barcelona).

Renata e Talita vencem australianas e garantem primeiro lugar

Uma primeira fase impecável. Com três vitórias e nenhum set perdido Renata e Talita avançaram a segunda fase do Grand Slam de Berlim como primeiras colocadas no grupo E. O resultado garantiu ainda a vaga antecipada nas oitavas-de-final do torneio.

A conquista veio no último jogo da primeira fase, quando venceram as australianas Barnett/Cook em confronto direto pelo primeiro lugar do grupo. Em quarenta e um minutos de partida as brasileiras dominaram o jogo e conquistaram mais uma vitória sem perder um set. Com um bom saque de Renata e Talita perfeita no bloqueio a dupla conquistou com facilidade o primeiro set (21-13), e vinha bem no segundo quando após estarem vencendo por 10-5 deixaram as adversárias empatarem em onze pontos. Mesmo assim elas souberam manter a calma e fechar a partida em 21-19.

“Esse resultado foi muito importante pelo aspecto moral. Mostramos que estamos recuperados do resultado na Polônia”, comentou o técnico Abel Martins. E o lado psicológico será fundamental para o próximo desafio. Logo mais as 12:30, no horário de Brasília, Juliana/Larissa e as cubanas Grasset e Peraza decidem qual dupla será a próxima adversária das vice-líderes do ranking brasileiro.

quarta-feira, 11 de junho de 2008

Jogo de amanhã define primeiro lugar do grupo

O grande duelo do grupo E como esperado irá definir qual dupla sairá como primeiro lugar do grupo no Grand Slam de Berlim. A partida entre Renata/Talita e Barnett/Cook (Austrália) colocará a dupla vencedora na segunda rodada da fase eliminatória, já que os líderes de cada grupo se pré-classificam a essa rodada.

As duas duplas venceram hoje seus jogos contra a dupla da Filipinas, Ilustre e Pascua, e as irmãs austríacas Schwaiger. Renata e Talita, que haviam vencido na estréia por 2x0 (21-16/21-14) a Ilustre/Pascua voltaram a conquistar uma nova vitória por dois sets a zero no penúltimo jogo do dia na quadra central. Em um jogo definido no saque elas venceram as Schwaiger com duplo 21-17, em quarenta minutos.

“Jogamos bem os dois jogos de hoje. O saque foi nossa principal arma, principalmente no segundo jogo, quando elas também sacaram bem”, analisou o técnico da dupla brasileira, Abel Martins. O treinador destacou ainda a importância de não ter perdido um set nesse primeiro dia, que é importantíssimo para os critérios de classificação das duplas para a composição das chaves na segunda fase da competição.

Amanhã, as cinco e meia da manhã (horário de Brasília), o jogo contra as australianas promete ser bastante equilibrado. As duplas se enfrentaram três vezes, e as brasileiras esperam empatar a série de confrontos em Berlim. “Ganhar amanhã é importante porque com o primeiro lugar do grupo você se classifica direto para a segunda rodada da segunda fase e com isso tem menos jogos no segundo dia”, explicou Talita que se disse bastante motivada para a partida.

Renata e Talita passam bem pelo primeiro jogo

O frio e o forte vento na arena montada em Berlim foram os principais adversários das brasileiras Renata/Talita na primeira partida do seu grupo no Grand Slam da Alemanha.

Jogando contra a dupla da Filipinas, Ilustre e Pascua, elas dominaram o jogo nos dois sets e conquistaram a primeira vitória. Após um início relutante, quando as adversárias chegaram a abrir 4-1, no primeiro set, as brasileiras viraram o placar em uma seqüência de seis saques de Renata (9-6) e a partir de então não foram mais ameaçadas pelas oponentes. Após fecharem o primeiro set em 21-16, o segundo foi ainda mais fácil. Com o forte bloqueio de Talita dificultando as adversárias, e Renata bem no fundo de quadra na defesa, elas precisaram de apenas trinta e seis minutos para fechar o jogo em dois sets a zero, com 21-14 no segundo set.

“Jogamos bem nessa estréia. Mas a etapa ainda é longa e precisamos manter a concentração. O vento está dificultando muito pra jogar e apesar do próximo jogo ser na quadra central deve atrapalhar um pouco também”, comentou Renata Trevisan. Ela e sua parceira, Talita Antunes, voltam a jogar daqui a pouco na principal quadra do complexo montado na capital alemã contras as irmãs austríacas Schwaiger.

Jogadoras conhecem suas adversárias na primeira fase

Com o início dos Grand Slams começa uma nova forma de disputa das etapas do Circuito Mundial. A partir de Berlim, e nas próximas outras três etapas, a competição é dividida em duas fases: Primeiro uma fase de grupos, com quatro duplas em cada, onde três se classificam. Depois uma fase eliminatória simples (sem repescagem) até o final four.

Ontem, durante o congresso técnico, Renata e Talita conheceram as suas adversárias na primeira fase da competição. Cabeças-de-chave número cinco do torneio elas estão no grupo E, ao lado de Barnett/Cook (Austrália), as irmãs Schwaiger (Áustria) e Ilustre/Pascua (Filipinas).

A estréia na competição será contra dupla da Filipinas, hoje as 08:10 no horário de Brasília. Os times já se enfrentaram uma vez, ano passado em Phuket (Tailândia), e a vitória ficou do lado brasileiro. Na seqüência será a vez de enfrentar pela nona vez as austríacas. Em jogo programado para as 12:20 (horário de Brasília) Renata e Talita tentarão ampliar o número de vitórias no histórico do confronto – até agora foram seis vitórias e duas derrotas.

A fase de grupos segue amanhã com o jogo que promete ser o mais equilibrado do grupo. Jogando contras as australianas Barnett/Cook, as brasileiras tentarão vencê-las pela segunda vez, empatando assim o histórico do confronto. A única vitória das brasileiras nesse jogo aconteceu ano passado em Varsóvia.

“O jogo contra as australianas certamente é o mais forte do nosso grupo. Mas, temos primeiro que pensar nas adversárias de amanhã (hoje) para chegarmos nesse jogo já classificadas, apenas decidindo se seremos as primeiras do grupo”, analisou a sul-mato-grossense Talita.

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Dupla treina para série de Grand Slams

Renata e Talita já estão em Berlim, onde a partir de quarta disputam o primeiro de uma série continua de quatro Grand Slams – torneios que tem pontuação maior.

A dupla que chegou na cidade no domingo a noite não perdeu tempo e hoje cedo foi a um centro de treinamento da capital alemã para retomar os treinos. Amanhã, além da programação normal de treino tático e parte física, as jogadoras irão conhecer o seu grupo da primeira fase do torneio. “Nos Grand Slams a composição da chave é importante porque a segunda fase é eliminatória. Você não tem uma segunda chance na repescagem”, explicou a carioca Renata Trevisan.

Vindas de um quarto lugar na Polônia a dupla espera ajustar os erros cometidos na última etapa e voltar a somar pontos na corrida pela vaga nos Jogos Olímpicos de Pequim. Para isso elas precisam chegar as semifinais, já que qualquer outro resultado inferior a esse tem pontuação menor que os 480 pontos (pior pontuação entre as oito melhores da dupla nas etapas que contam para o ranking olímpico).